Evitar erros poderia ser mais fácil, a gente ouve das pessoas que é burrice cometer os mesmos erros, mas, existem erros que você só percebe que esta acontecendo novamente quando já esta dentro dele, e como sair dessa situação? É possível evitar um erro pela metade? Resposta difícil, sentimentos tumultuados, dolorosos, é triste sentir-se só, isolada entre tantos. E dói ainda mais quando se percebe que é a única responsável por sua solidão. Li uma frase que dizia assim: "você é responsável por aquilo que cativas" mas, quem de fato presta atenção no que cativa, ou cultiva em seu coração até o momento em que já esta lá, com raízes tão profundas que você não sabe mais se é possível arrancar o que te faz mal sem esmagar se coração, então torna-se sozinha por não conseguir compreender nem ao menos o que passa em seu intimo, por sentir um vazio tão grande em seu peito que chega a duvidar se seu coração ainda esta lá. Uma falta tão grande e tão profunda que nem é possível descrever o porquê e nem como chegou e se instalou ali, num peito que pulsa sem motivos, nem razão. Um único erro, que você nem sabe em qual momento da sua vida cometeu, mas que foi o suficiente para abrir um buraco tão grande em seu ser, que não se sabe o que fazer para preenchê-lo ou reverte-lo. Não há como curar uma dor ou preencher um vazio que não sabemos a causa, se realmente foi uma ou varias causas que tornaram essa situação insustentável.


Com o passar dos anos a vida vai tomando rumos diferentes e as pessoas que amamos por um motivo ou por outro acabam indo para longe, perdemos o contato, nos vemos apenas uma vez a cada ano e os bons momentos ficam apenas na memória, brincadeiras, conversas, confidencias que só adolescentes entendem. E só resta nos apegar a qualquer coisa que nos lembre esses amigos para que a nossa memória não nos traia, falhe nos fazendo esquecer o melhor da vida, os melhores amigos!


Vivo me fazendo, refazendo, construindo e reconstruindo o meu íntimo a cada dia. A partir de mim, dos outros, das minhas ações e das alheias. Refaço-me porque é necessário para que eu me compreenda, ou pelo menos tente. É preciso se reconhecer, aceitar-se e muda-se se preciso. Aprender a reconhecer as batalhar que vai lutar, não por medo, ou por coragem, algumas você irá enfrentar apenas por necessidade. Tenho aprendido a montar o quebra-cabeça chamado de EU, um jogo que às vezes julgo que não conseguirei terminar. Pois sou um emaranhado de "eus" que muitas vezes divergem, outras se completam e em outros casos apenas convivem em meu íntimo. A vida te cobra mudanças, e te faz recomeçar e recomeçar várias vezes, você estando pronto ou não. Por isso todos os dias ao acordar, me olho no espelho, faço uma bela maquiagem, arrumo os cabelos com cuidado e visto minha armadura. Estando sempre pronta para o que a batalha do dia que a vida vai me impor. E ao final de cada dia, vejo e revejo os meus ganhos, derrotas e empates. Buscando sempre exercitar meu lado Poliana. E percebo que o egoísmo que ainda mora em mim é que me faz levantar todos os dias e não desistir de mim, pois sei que sou a melhor coisa que tenho e devo preservar, deixando os olhos alheios apenas me admirarem, ou admirarem a armadura que é montada todos os dias, para que eu sobreviva a esse mundo tão gigantesco e imprevisível. 



Calma amor, sei que a saudade é grande e o tempo é curto. Mas sei que vamos dar um jeito nisso, tudo ao seu tempo, lembra ? Vai dar certo, sempre deu. Só me espera, eu to chegando e tudo vai se ajeitar. Vamos matar a saudade, saciar a fome dos nossos beijos. Vamos nos ajeitar na sua cama de solteiro. Depois de sair com os amigos, rir bastantes e depois de socializar e encher a cara, vamos voltar para o seu quarto que mais parece um mundo particular e por mais algumas horas que parecerão segundos, instantes perfeitos, vou me aninhar em seu peito, falaremos da faculdade, do trabalho, da vida em outra cidade. Das novas aventuras, das mil e umas coisas que queremos fazer e muitas vezes parece que a vida é curta não teremos tempo para fazer tudo. Faremos planos que nunca arrumaremos tempo para por em prática. Perceberemos que somos felizes assim, que teremos uma vida sentindo saudade e uma outra matando ela, que vamos passar dias querendo nos ver, mesmo que tenhamos acabado de passar um final de semana juntos, e que quanto mais temos de nós, mais desejo temos. E então perceberemos que amanheceu, você vai me levar pra casa e se despedirá de mim  com um beijo caloroso e prometerá que nos veremos em breve. Eu vou sorrir sabendo que não será em breve e que vamos ter muita saudade acumulada quando nos vermos novamente. Vou te dar um selinho carinhoso e me despedir de você como quem se despedi de um show da banda favorita, totalmente cansada, maquiagem borrada, mas em êxtase por ter curtido a melhor noite da sua vida. Noites que se repetem as vezes, embora em sua maioria são como eclipses raros e brilhantes, mas sempre perfeitos em sua beleza.